Topo

Notícias

CPI do DPVAT: Quadrilhas de Itapipoca lucraram R$ 1,5 milhão com fraudes

21/Outubro/2015
Increase_font Decrease_font

Quebra de sigilo bancário e acumulo de patrimônio de sócios dos escritórios revelaram tamanho do esquema

 

O delegado da Polícia Civil Marcos Aurélio Elias de França afirmou, nesta terça-feira (20), durante reunião da CPI do DPVAT da Assembleia Legislativa, que as fraudes contra o seguro do trânsito renderam pelo menos R$ 1,5 milhão para quadrilhas que atuam no município de Itapipoca.

A quebra de sigilo bancário e o acumulo de patrimônio de sócios dos escritórios envolvidos no aliciamento de vítimas de acidentes revelaram o tamanho do esquema no município. Segundo o delegado, há ainda indícios de que as somas de valores dos golpes sejam bem maiores do que o comprovado até agora. “Isso é apenas a ponta do iceberg”, afirmou.

O delegado fez o resumo do inquérito, formado por cerca de 19 mil páginas, que investiga irregularidades no pagamento do seguro obrigatório. Entre as fraudes detectadas na investigação, o delegado Marcos Aurélio citou o pagamento do benefício a pessoas que não se envolvem em acidentes automobilísticos; acidentes com motos com documentação vencida, que é trocada por uma que está em dia; a potencialização do dano, ou seja, apresentação de laudos com politraumatismo das vítimas, quando ocorreram apenas ferimentos leves, e o preenchimento da documentação sem o conhecimento da vítima, com registro fraudulento de Boletim de Ocorrência (BO).

Para o presidente e autor da CPI, deputado Dr. Sarto (Pros), os esclarecimentos do delegado indicaram os caminhos que a comissão deve tomar inicialmente. “Nessa fase, é mais produtivo nos aprofundarmos nos dados e números com os envolvidos diretamente nas investigações até agora”, pondera.

Requerimento

Após quase quatro horas de reunião, os integrantes da CPI decidiram fazer um requerimento solicitando ao representante da Seguradora Líder os dados financeiros sobre o volume de recursos arrecadados e de seguros pagos no Ceará nos últimos cinco anos, incluindo casos de morte, invalidez e despesas médicas, especificados mensalmente. O requerimento será encaminhado nesta quarta-feira (21/10), solicitando apresentação dos dados para a próxima reunião da CPI, marcada para o dia 28 de outubro, às 16h.

Com informações da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa